Transtornos Alimentares | Por Mayara Brandão

Transtornos Alimentares | Por Mayara Brandão

Os transtornos ou distúrbios alimentares são, de modo geral, perturbações no comportamento alimentar. São considerados doenças psiquiátricas.

Os casos de transtornos alimentares aumentaram nas últimas décadas. Eles estão relacionados, principalmente, com aspectos sócio-culturais, biológicos, psicológicos e familiares. Também relacionam-se com os padrões de beleza impostos pela sociedade, como a magreza e o corpo esbelto.

Em muitos casos, as primeiras manifestações ocorrem na infância e adolescência. A maioria dos casos de transtornos alimentares são doenças que acometem, principalmente, adolescentes e mulheres jovens.

Abaixo discorremos os três mais comuns dos diversos transtornos alimentares:

  • Compulsão Alimentar

O transtorno da Compulsão Alimentar é caracterizado por comer uma grande quantidade de alimento em pouco tempo e pela perda de controle sobre o que se come. Os sintomas associados são: comer muito e mais rápido que o normal, comer até sentir-se saturado e mesmo assim continuar comendo e comer mesmo sem estar com fome. Devido à grande quantidade ingerida, a pessoa tende a comer sozinha ou escondida por culpa, vergonha e raiva de si mesma.

Desse modo, o consumo desequilibrado dos alimentos não está associado somente as pessoas que já são obesas, mas sim a um transtorno psiquiátrico, que posteriormente trará prejuízos biopsicossociais. Isto é, danos nos fatores biológicos (diabetes, pressão arterial alterada, colesterol alto), psicológicos (transtorno de humor, de ansiedade e depressão) e sociais (baixa autoestima, isolamento, dificuldade nas relações interpessoais e trabalho).

As pessoas diagnosticadas com o transtorno não se preocupam em evitar o ganho de peso, como as pessoas com bulimia nervosa. Pelo contrário, apesar do peso não ser a única característica diagnóstica, a maioria apresenta obesidade e a predominância da compulsão é de 2% na população geral.

Problemas que podem favorecer a compulsão – Dietas rígidas que privam por muito tempo certos alimentos; Comer por conforto emocional (mudanças emocionais se tornam gatilho para a compulsão); Estresse; Problemas com a imagem corporal; Problemas graves ligado ao passado (abuso sexual, negligência dos pais e etc.).

  • Bulimia Nervosa

 A bulimia é caracterizada por períodos de compulsão alimentar, ou seja, ingestão exagerada de alimentos, porém, com uma enorme preocupação com a aparência, principalmente o ganho de peso. Por conta disso, logo após a compulsão, surgem comportamentos não saudáveis para perda de peso rápido como: induzir vômito (90% dos casos), uso de laxantes, abuso de cafeína, uso de cocaína e/ou dietas inadequadas. Outros métodos para perder peso podem envolver o uso de diuréticosestimulantesjejum de água ou exercício físico excessivo. A maior parte das pessoas com bulimia tem peso corporal normal. Diferente daqueles que sofrem apenas da compulsão alimentar, que se sentem culpados pela ingestão inadequada de alimentos, mas não se preocupam com a aparência. A bulimia está muitas vezes associada a outros distúrbios mentais como depressãotranstornos de ansiedade e problemas como a toxicodependência ou o alcoolismo. Existe também um elevado risco de suicídio e de práticas de automutilação.

Problemas que podem favorecer a bulimia – Não há causa exata e muitos fatores podem estar envolvidos, como, fatores genéticos; Psicológicos; Familiares; Sociais; Influência da mídia sobre padrão de beleza; Distúrbio de imagem e aceitação do corpo.

  • Anorexia Nervosa

A anorexia é caracterizada por uma perda de peso acima do que é considerado saudável para a idade e altura. Pessoas com anorexia nervosa podem ter um medo intenso de ganhar peso, mesmo quando estão abaixo do peso normal. Elas podem abusar de dietas ou exercícios, ou usar outros métodos para emagrecer. Outros sintomas são: Cortar a comida em pequenos pedaços ou movê-los no prato em vez de comê-los, Exercitar-se o tempo todo, mesmo quando o clima está ruim, a pessoa está machucada ou ocupada, ir ao banheiro imediatamente após as refeições, recusar-se a comer perto de outras pessoas, usar comprimidos para urinar (diuréticos), evacuar (enemas e laxantes) ou reduzir o apetite (comprimidos para perda de peso), ter o ciclo menstrual interrompido por três ou mais meses, entre os sintomas mais graves, podendo levar à morte.

A anorexia nervosa é um distúrbio de imagem, no qual o paciente não consegue aceitar seu corpo da forma como ele é, ou tem a impressão de que está acima do peso em níveis acima da realidade, o qual também chamamos de dismorfia corporal. Onde o indivíduo se incomoda profundamente com “defeitos imaginários” ou triviais de seu corpo. Diferente dos transtornos acima, as pessoas com anorexia não ingerem grandes quantidades de alimentos e depois se sentem culpados. Pelo contrário, elas evitam se alimentar devido ao medo exagerado em ganhar peso.

Problemas que podem favorecer a anorexia – A causa exata da anorexia ainda é desconhecida, mas acredita-se que fatores biológicos, psicológicos e ambientais estejam envolvidas nas causas possíveis para a doença. Sem contar a pressão social, causada em adolescentes devido as mudanças da mente e corpo nessa fase.

Tratamento:

Tratando-se de transtornos alimentares, para que haja uma recuperação satisfatória, o tratamento precisa ser multidisciplinar. Não basta só ingerir os medicamentos prescritos pelo psiquiatra, também é necessário acompanhamento clínico, psicológico, nutricional e atividade física com profissional especializado no problema e principalmente acolhimento familiar. A pessoa diagnosticada com algum transtorno alimentar já possui muitos problemas emocionais e questionamentos para dar conta. Por isso, é imprescindível a suspensão de julgamentos e ter uma rede de apoio daqueles que estão a sua volta.

 

Se quiser saber mais sobre esse tema, assista este vídeo:

 

Deixe uma resposta