Uma carta para mulheres negras | Por Lari Marolla

Uma carta para mulheres negras | Por Lari Marolla

Mulheres negras,

Essa carta não é somente um pedido de recomeço, mas um convite para tocarmos na ferida para que ela finalmente possa cicatrizar. O assunto pode ser delicado, mas não vale a pena tentar?

Por muito tempo nos fizeram acreditar que crespo era algo ruim e liso algo bom. Que pele negra não tinha espaço e muito menos merecimento, se comparada a pele branca. Que tínhamos que ter medo e sentimentos horríveis umas pelas outras, e colocaram em nossa cabeça mentiras cheias de discriminação e ódio. Nos enganaram e, nós, criamos barreiras e mais barreiras nos afastando ainda mais.

Mas, hoje, isso precisa mudar.

Assumimos que querendo ou não talvez tenhamos dito algo sobre seus traços que as ofendeu, falado um ditado popular racista e preconceituoso que as atingiu ou ter causado desconforto olhando-as dos pés a cabeça com ou sem intenção. Realmente sabemos disso e realmente pedimos perdão.

Nos identificamos com vocês por sermos mulheres e termos muita coisa em comum para revolucionar, contudo sabemos que sua luta é ainda maior que a nossa e não nos sentimos no direito de tomá-la pelo simples motivo de não termos a sua dor. Mas se permitirem, gostaríamos de nos unir a vocês nessa batalha e acabar com essa cultura racista camuflada até hoje na sociedade.

Somos diferentes e isso é fascinante! Então está na hora de deixarmos todos os padrões de beleza para lá e valorizarmos quem somos. Não queremos esconder nosso cabelo, não queremos ter vergonha da nossa cor, não queremos desvalorizar nossos traços e a história que carregam. Da mesma forma, queremos ver seu cabelo natural cheio de curvas e nuances, pois é perfeito em todos os detalhes. Sua cor forte e poderosa que não precisa de retoque e nunca deveria ter sido motivo de insegurança. Queremos saber a trajetória da sua família que está escrita por meio do seu nariz, boca, olhos e todos os traços do seu rosto. E debaixo de todas as camadas que temos, queremos ser livres de tudo o que um dia nos separou e recuperar o tempo perdido.

O mais importante é que por mais que tenhamos errado com vocês no passado, no presente e futuro queremos estar ao seu lado. E se nos derem uma chance de estarmos juntas nessa caminhada, podemos aprender com vocês e ensiná-las o que aprendemos também. Sem comparações, sem nos rebaixarmos, apenas reconhecendo o que há de melhor em nós e bastante fraternidade para darmos um passo de cada vez.

E não se esqueçam! Mulheres negras, vocês nos inspiram. E também queremos ter a oportunidade de inspirá-las. Se nos permitirem, podemos nos unir e ir mais longe. Prometemos estar aqui por vocês e confiamos que estarão aqui por nós. Como irmãs, unindo, emporando e inspirando uma a outra. Talvez erraremos no caminho, mas contamos com vocês para nos guiarem nesse processo e faremos o mesmo com vocês se algo acontecer.

Afinal, existe um antídoto para tudo o que um dia nos separou e podemos descobri-lo juntas.

 

Com amor,

Mulheres brancas.

 

PS: Que essa mensagem te inspire a fazer desse mundo um lugar melhor. A começar com pequenas mudanças diárias, olhando e respeitando todos os tipos de mulheres que estão ao seu lado.

 

 

 

Sobre o autor:

Fundadora do GPMOVE, pastora e jornalista.

Fb: Larissa Marolla / Instagram: @larissamarolla

Deixe uma resposta